The Contexts of Vieira’s Toleration of Jews and New Christians

Stuart B. Schwartz, Thomas Cohen and Stuart B. Schwartz

Abstract

A tolerância do jesuíta António Vieira para com os crisãos novos e até com os judeus, e sua oposição à campanha feita pela Inquisiçâo portuguesa contra eles sâo aspectos notáveis da sua carreira e de seus escritos. Estes msmos aspectos fazemde Vieira uma figura que parece singular no seu século. Mas a realidade era que já existia em Portugal e em Espanha um contexto; desde o períodomdieval uma corrente de tolerância e de relativismo religios até mais abem do que o de Vieira que sempre enfatizou a integraçâo dos judeus numa futura Igreja Católica universal. A tolerância de Vieira nasceu de uma posiçâo politique que queria se aproveitar dos recursos e talentos dos cristãos novos. Nisto, ele partilhou de uma atitude semlhante à tolerância de outros estadistas do século XVII, um period0 de filo-semitismo em várias cortes da Europa. O que distinguiu a tolerância de Vieira for a maneira com que ele combinou esta tolerância prática com uma visão milenarista na qua1 os judeus tinham um papel central. Sua visão mais tolerante não venceu os interesses de vários grupos nem da própria Inquisiçâo em Portugal.

Resumo

This article requires a subscription to view the full text. If you have a subscription you may use the login form below to view the article. Access to this article can also be purchased.

Log in through your institution

Purchase access

You may purchase access to this article. This will require you to create an account if you don't already have one.